21/10/2017

Opinião

Marcelo Beledeli: Mídias tradicionais não devem ser ignoradas

Pergunte a qualquer marqueteiro bem sucedido, e eles vão contar histórias de como eles experimentaram com vários meios de comunicação antes de chegar ao mix perfeito de mídia para determinada marca ou produto. Você mistura e testa mídias até encontrar uma forma em que elas se complementam.

No entanto, com a era da Internet, o mundo ter abraçado uma abordagem “digital first”. E temos todas as razões para fazê-lo. Com a quantidade de tecnologia disponível hoje, o número de mídias em que os usuários de marketing podem anunciar também aumentou. Uma das plataformas que ganhou impulso é a tecnologia móvel. Já em 2014, os usuários de dispositivos móveis, como smartphones, ultrapassaram os de desktops.

Mesmo com essa transformação, uma questão permanece: “uma campanha de marketing está completa sem publicidade e mídia tradicionais?”. A princípio, a resposta parece ser um “sim”. No entanto, é preciso cuidado nessa afirmação. As atividades de marketing e publicidade atendem a um amplo espectro de pessoas, espalhadas por várias camadas demográficas, interagindo e consumindo conteúdo de várias maneiras. Não há como negar o fato de o mundo ter ficado digital, mas a importância dos meios tradicionais ainda é grande.

A publicidade tradicional está longe de ser declarada morta. Existe uma razão pela qual veículos de comunicação como rádio e televisão são chamados de mídia de massa: eles alcançam multidões de usuários.

Além disso, o público que consome a informação gerada é inteiramente humano, para quem esses veículos trabalham a fim de atrair a maior atenção possível. Já o público que curte páginas ou interage em atividades digitais não são apenas usuários reais, mas também spammers e bots.

As mídias tradicionais, como anúncios de TV e jornais, interagem com pessoas reais em tempo real, gerando um impacto que meios digitais às vezes não conseguem. De acordo com estudo realizado pela Ogilvy Media Influence, 72% das pessoas consideram fontes tradicionais como mais confiáveis ​​em comparação com as digitais.

Há uma infinidade de canais digitais, mas você não pode ignorar algo que está provado ser efetivo, simplesmente porque acha que é “old school”. A mídia tradicional é mais fácil de processar porque é mais confiável. Prestamos mais atenção a uma fonte em que confiamos, ao invés de notícias aleatórias que aparecem no nosso feed de mídia social.

Em um estudo recente, verificou-se que usuários com acesso a várias telas, como seus smartphones, laptops, tablets e outros, preferem consumir anúncios em suas telas de TV. A razão é simples: ela é menos intrusiva. Imagine que você está impaciente para chegar ao próximo nível do seu game, ou tenta assistir o novo videoclipe da sua banda favorita, mas você precisa esperar a propaganda terminar.

Muitas campanhas de marketing parecem que não conseguem entender a natureza humana: queremos coisas simples que atendam nossas prioridades da melhor forma. Não queremos aguardar um anúncio terminar ou um pop-up fechar.

A confiabilidade dos meios tradicionais é insubstituível, pelo menos no futuro imediato. A mídia digital ainda tem um longo caminho a percorrer antes de poder substituir a tradicional.

Recomendados