Sistema Farsul projeta aumento na área plantada e produção nas principais culturas em 2019

COMPARTILHAR

Em coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (06/12), o Sistema Farsul apresentou  o relatório econômico de 2018, as projeções para o próximo ano e elencou os desafios a serem enfrentados para que o Brasil possa alavancar o desenvolvimento econômico. A expectativa para o campo gaúcho é que haja um crescimento de 3,4% na área plantada de grãos, assim como incremento de 3,4% em produção. O aumento de volume, no entanto, não superará o recorde da safra de 2017.

O presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira, introduziu os principais assuntos que estão sendo levados às equipes dos governos estadual e federal que assumirão em janeiro: questões como o seguro rural, além de temáticas que impactam todos os setores da economia e refletem no agronegócio brasileiro, como a importância de abertura econômica, privatizações de serviços onerosos para o Estado e mudanças nas políticas tributária e previdenciária.

“Temos que mexer na estrutura do Estado. Temos um Estado extremamente inchado, estamos com a máquina pesada nas três esferas da administração. Precisamos reformar as estruturas para que ele possa se concentrar no que realmente é o papel do Estado e fazer concessões e privatizações nas outras áreas”, afirmou Gedeão.

Resultados e Projeções da Safra – Após um ano marcado por eventos climáticos que afetaram a produção de soja na metade sul, resultando em uma quebra de 6,4% na comparação com 2017, a expectativa é de uma recuperação do setor, com aumento de área (2,5%) e produção (5,3%) do grão, adiantou o economista do Sistema Farsul, Antônio da Luz. Milho (3,4%) e Trigo (31%) ajudam a puxar a expansão da área plantada, que pode chegar a 8.885 mil hectares na safra 2019.

Situação diferente no caso do arroz, que deve ter nova diminuição da área plantada (-6,5%) devido aos desafios dos altos custos de produção que frequentemente superam os valores pagos ao produtor, apesar de um aumento no preço devido às exportações resultantes dos leilões PEP e PEPPRO.

Já com relação à pecuária, o ano de 2018 trouxe um princípio de recuperação dos preços do leite, afetado pela crise econômica em 2017. O economista estima que um terço dos produtores de leite deixaram a atividade. Em 2018, houve uma recuperação de 36% no preço acumulado de janeiro a novembro e é esperada uma ligeira elevação de 0,85% na produção. A pecuária de corte gaúcha fechará o ano com número de abates estável em relação a 2017 e queda de 6% do faturamento, devido à retração do preço.

Crédito Rural e Seguro Agrícola – O economista do Sistema Farsul, Antonio da Luz, reiterou os gargalos do crédito rural, que teve um aumento no volume, mas uma queda no número do contratos, o que evidencia que existe uma disponibilidade de recursos, mas obstáculos na contratação:

“Precisamos diversificar as fontes de financiamento, que atualmente estão concentradas em poucos bancos, o que desestimula a redução do juro cobrado do produtor”, afirmou ao revelar que dez mil produtores rurais deixaram de acessar os recursos.

Gedeão Pereira ressaltou o papel do Seguro Rural para dar segurança ao produtor e facilitar a tomada de crédito ao dar uma garantia de retorno, já que as condições que o agricultor encontra ao investir na lavoura podem ser diferentes daquelas estabelecidas no momento da venda.

Governo Federal – Em relação ao governo federal, Gedeão revelou otimismo: “Temos que promover a abertura econômica, porque assim novos negócios surgirão. E temos que caminhar fortemente para as privatizações. Isto é algo que o novo governo já está sinalizando e que traz muita esperança ao povo brasileiro de que as coisas irão mudar”.

Governo Estadual- Sobre o governo estadual, o presidente do Sistema Farsul reiterou a importância do nome que será escolhido para a pasta do meio ambiente para viabilizar a produção agropecuária gaúcha: “Temos confiança que o nome que for apontado para a Agricultura terá sintonia com o setor. Mas é importante que o escolhido para o Meio Ambiente dê continuidade ao trabalho que está sendo realizado atualmente, com base em critérios técnicos.
Apresentação do Balanço 2018 e Projeções 2019