Sistema centenário de produção de tabaco

COMPARTILHAR

É em ritmo acelerado que a Souza Cruz beneficia, na fábrica de Santa Cruz do Sul, parte do fumo comprado na safra 2017/2018. O tabaco processado na unidade – considerada uma das maiores do mundo, com capacidade instalada de processamento de 120 mil toneladas por ano – é fruto do trabalho dos produtores integrados à empresa no Rio Grande do Sul. Neste ano, a Souza Cruz celebra 100 anos do Sistema Integrado de Produção de Tabaco (SIPT).

Criado em 1918 pela empresa, o SIPT virou referência no agronegócio familiar do Brasil – hoje, é encontrado em outras companhias de diversos segmentos no País e no mundo. O sistema consiste no fornecimento das sementes (desenvolvidas no centro de pesquisa da Souza Cruz) e dos insumos necessários para a instalação e desenvolvimento da lavoura. O modelo inclui, ainda, assistência técnica gratuita em todas as fases da cultura até a comercialização.

Em Santa Cruz do Sul, a expectativa é de que o processo siga até a primeira quinzena de setembro, com a contratação de 1,7 mil colaboradores temporários. “A geração de empregos é semelhante à safra passada, mas o diferencial deste ano é com relação ao tempo de contrato, que será maior”, explica o gerente de Operações Industriais, Robson Lima.

O SIPT promove, também, a aproximação das comunidades rurais com a empresa, possibilitando investimentos e parcerias com objetivo de reduzir o êxodo rural e, ainda, a diversificação da produção, com espaço para outras culturas como feijão e milho após a colheita do tabaco.

Além do Rio Grande do Sul, a companhia processa tabaco em outros estados. No Paraná, o trabalho ocorre na planta de Rio Negro (deve seguir até o início de julho), e em Santa Catarina, na unidade de Blumenau (previsão de término também em julho).

Sediada no Rio de Janeiro, a Souza Cruz atua em 584 municípios da Região Sul do Brasil, com o envolvimento de 27 mil produtores integrados e uma equipe de assistência técnica formada por 222 orientadores agrícolas.

Conforme dados da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), a safra 2017/2018 soma 705 mil toneladas. A cultura é base de sustento para 190 mil famílias distribuídas entre os três estados do Sul do Brasil e ocupa cerca de 300 mil hectares. O tabaco é um dos principais produtos da pauta exportadora do País, com 427 mil toneladas comercializadas ano passado, com resultado de US$ 2 bilhões em vendas.