Publicitário José Guilherme Vereza lança romance “O Jardim dos Anjos”

335
COMPARTILHAR

Em O Jardim dos Anjos, novo livro de José Guilherme Vereza, os cenários e personagens são velhos conhecidos dos leitores. Em um Brasil agreste, a menina Delfina sofre nas mãos de uma avó que é o próprio diabo e foge. Vai parar na cidade Morro do Convento e se depara com uma realidade ainda mais infernal: enfrenta padres pedófilos, interesses escusos, estupros, abortos, amores proibidos e claustros sombrios. Buscando a verdade, Delfina tenta digerir e suportar tanto quanto lhe é possível, mas existe um limite que não pode ultrapassar. Quanto terror alguém é capaz de suportar? Publicado pela editora 7Letras, a obra ficcional é dividida em 25 capítulos, em 136 páginas. O romance será lançado no dia 11 de setembro, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon.

“Escrever é inventar pessoas e encontrar amigos. É produzir um mundo que nem seu é. E é um ato de certa forma altruísta: a satisfação está em distrair e provocar a reflexão no outro. Isso é o valor da escrita”, filosofa Vereza. “O argumento de O Jardim dos Anjos começou a partir de uma conversa com minha mãe. Éramos muito focados em escrever e a Delfina nasceu daí. Infelizmente ela faleceu no meio do processo e tive que parir do zero à revelia dela”, explica o autor.

Apesar da temática forte, O Jardim dos Anjos possui capítulos leves que dão a cadência da leitura, por vezes mais dura, em outras, mais tenra. A orelha do livro, escrita pela tradutora, atriz e professora de roteiro Maria Clara Mattos, resume bem a alma da obra: “Retrato de homens e mulheres crus, mais do que rudes – já que a palavra rudeza talvez induza à intenção agreste, em O Jardim dos Anjos, os seres humanos ainda não estão prontos, seguem aprendendo com a vida o que é ser bom, mau, ou mesmo, nulo. Personagens quase alegóricos, no melhor sentido da palavra, são quase símbolos de um Brasil colonizado pela metade, alfabetizado pela metade, saneado pela metade”, elabora.

José Guilherme Vereza nasceu em 1953, no Rio. É publicitário, redator, diretor de criação, roteirista, professor e escritor. Publicou dois livros de contos: 30 segundos, pela Publit, e A primeira noite de Melissa, pela Litteris – este rendeu o Prêmio Stanislaw Ponte Preta pelo conto Relações Postais, encenada no teatro pela Nonada Cia. De Arte. Estreou como romancista com Corações entre Pernas, publicado pela BookStrat em 2016. O Jardim dos Anjos, seu segundo romance, foi finalista no Prêmio Rio de Literatura 2015 da Cesgranrio.

Na carreira publicitária, trabalhou na criação de várias agências de propaganda nacionais e multinacionais. Fez parte do Núcleo Criativo da TV Globo, quando participou da criação do primeiro programa interativo da televisão brasileira, o Você Decide. Graduado em Comunicação Social pela PUC-Rio e pós-graduado em Pedagogia, é autor na web revista literária Samizdat e colabora como cronista no site de cinema Metafiction. Além disso, foi cronista e contista dos portais Bolsa de Mulher, Tempo de Mulher e MundoMundano.