Melhor produtividade no mercado de citros brasileiro

156
COMPARTILHAR

O Brasil é o maior produtor global de frutas cítricas e o maior exportador de suco de laranja. Segundo informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), apesar de ter registrado bons preços, 2020 foi um ano difícil para a citricultura paulista. Dados da Fundecitrus mostram que a produção foi fortemente afetada pelo clima pouco favorável, e as projeções para a safra de 2020/21 são de queda de 30% na produção de laranja.

Já no mercado de limão tahiti, a oferta esteve alta principalmente durante o pico de safra, entre janeiro e abril de 2020, e as exportações da fruta alcançaram recorde no ano. Vale ressaltar também que, de acordo com o Cepea, a fruta representa 98% das vendas de cítricos in natura ao exterior.

São diversos os fatores que permitem que culturas tão importantes para a economia nacional tenham sucesso, como condições climáticas propícias, solo saudável e um manejo adequado.

Experiência positiva – O produtor Aparecido Silva, que possui mais de 12 mil plantas de limão tahiti em sua plantação em Urupês, São Paulo, conta que percebeu um aumento significativo de produtividade em suas terras depois que trocou o fertilizante comum por uma proposta que agrega inovação.

Todas essas características chamaram a atenção de Aparecido. “Estou usando o Supergan há duas safras e os resultados positivos são evidentes. Fiz três aplicações do adubo até agora no meu pomar de limão e notei bastante diferença no pegamento. Em 2020 produzi bem mais que no ano anterior. Vou continuar testando e acredito que os frutos serão ainda melhores com o passar do tempo”, revela o produtor.