Gado holandês ultrapassa os oito mil registros genealógicos no Rio Grande do Sul

COMPARTILHAR
Gado Holandês - Crédito JM Alvarenga Divulgação

A Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul (Gadolando) fechou 2020 com mais de oito mil registros genealógicos, superando os números de 2019.

O presidente da Gadolando, Marcos Tang, destaca o trabalho realizado por toda a equipe da Associação e agradece ao produtor que acreditou na entidade. “Tivemos a satisfação de ganhar novos associados mesmo num ano tão difícil. O nosso projeto se baseou em fazer uma aproximação com o produtor, as cooperativas, prefeituras e entidades do setor”, afirma, projetando que esta união continue em 2021.

Para este ano que está começando, Tang espera que diferentemente do que ocorreu em 2020, algumas feiras possam ser realizadas. “Estes eventos ajudam a nos aproximar, ir ao encontro dos produtores, mobilizando nossos técnicos, associados, colaboradores e direção. Entendo que cada um que está na Gadolando deve trabalhar como um embaixador da entidade. Acredito muito nesse serviço de disseminação da nossa Associação, pois só assim seremos cada vez mais representativos junto às autoridades político-administrativas para defender os interesses do criador de gado holandês, do produtor de leite”, destaca.

Tang tem esperança de que 2021 será melhor e de que o produtor de leite continuará com a Gadolando. “Minha mensagem principal é de gratidão em nome da direção da entidade. Agradecemos a todos que trabalharam com empenho permitindo superarmos 2019 em número de registros, o que é uma grande conquista”, finaliza.

Fonte:AgroEffective – Assessoria de Comunicação da Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul (Gadolando)