Debate sobre o papel da mulher na agricultura é destaque em evento

698
COMPARTILHAR

Buscando debater, valorizar e reconhecer o papel das mulheres frente aos desafios da agricultura familiar, o evento Força Feminina em Campo reuniu mais de 600 agricultoras de tabaco de Rio Pardo e região. No encontro elas receberam informações técnicas sobre a cultura e participaram de um debate sobre liderança, além de terem um momento de autocuidado e embelezamento, graças a uma parceria com a Natura.

As mulheres são essenciais na cadeia produtiva do tabaco e têm um papel cada vez mais ativo na produção, gestão e comercialização dos produtos. Segundo a 7ª pesquisa Hábitos do Produtor Rural da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), elas estão cada vez mais ativas na gestão das propriedades. Em 2006, o percentual era de 12% e em 2017 ficou em 31%. “Elas são nossas parceiras de negócio, são gestoras das propriedades, têm um papel central nas famílias e, como são as principais responsáveis pela educação dos filhos, têm uma influência muito forte no processo de sucessão rural já que quanto maior a instrução dos filhos, maior a renda da família e menor o êxodo rural”, explica Paulo Saath, vice-presidente de Leaf Supply da JTI.

É por esse motivo que um momento dedicado exclusivamente às mulheres é fundamental, pois possibilita que troquem experiências, se reconheçam e possam estar ainda mais preparadas para assumirem e participarem da gestão das lavouras. A coordenadora estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul, Lérida Pivoto Pavanello, acredita que as mulheres têm uma potência e capacidade incrível de realização, mas precisam ser mais valorizadas. “Somos agricultoras familiares, trabalhamos com garra, somos resistentes e nos superamos todos os dias para fazer a diferença na nossa família, na nossa comunidade e na sociedade. Precisamos continuar lutando para sermos cada vez mais reconhecidas e valorizadas”, afirma.

Lérida participou do principal momento do encontro, o debate “Desafios da Liderança Feminina em Campo”, que reuniu mulheres do agronegócio, como Alessandra Fajardo, diretora de Estratégia de Agricultura e Meio Ambiente para América Latina da Bayer, Silvana Covatti, deputada estadual (PP-RS), Anelise Townsend, gerente de Pessoas & Cultura da JTI e Marizane Prodorutti Kemmerich, agricultora familiar.

Marizane relatou a sua história na agricultura e destacou que em sua propriedade está lado a lado do marido em todas decisões da lavoura. “Lá em casa não há essa questão de coisa de homem e mulher, dividimos as tarefas, debatemos as decisões, plantamos e colhemos juntos”, relatou. Ela também destacou que esses momentos de troca de experiência são muito importantes para conhecer a realidade de outras agricultoras e se fortalecerem.

O evento também contou com estandes nos quais as mulheres puderam aprender mais sobre questões técnicas relacionadas ao cultivo de tabaco e a prevenção ao trabalho infantil.

Depois do evento em Rio Pardo (RS), o projeto Força Feminina em Campo segue para os municípios de Itaiópolis (SC) e Irati (PR). Ao todo, a expectativa é que mais de 850 agricultoras participem desses encontros.

15/10 – Itaiópolis (SC)

23/10 – Irati (PR)