Agricultura mantém serviços para garantir segurança alimentar e abastecimento do Estado

139
COMPARTILHAR

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul adotou um conjunto de medidas para conter o avanço do Covid-19 e também para buscar auxílio aos produtores rurais castigados pela estiagem. “O agro não para, mesmo com essa grande crise. Estamos mantendo as atividades de fomento às cadeias produtivas, de fiscalização animal e vegetal e o atendimento ao produtor rural”, diz o secretário Covatti Filho.

O Rio Grande do Sul está enfrentando a pior estiagem desde 2012, conforme o meteorologista Flavio Varone. Na safra 2011/2012, a média de chuvas de setembro a fevereiro foi equivalente a 67% da média história (que vai de 1981 a 2010). Na safra 2019/2020, choveu 86% da média. Diante deste quadro, o Estado encaminhou uma série de reivindicações do setor produtivo do agronegócio gaúcho para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Segundo Covatti Filho, o Rio Grande do Sul pede a renegociação dos custeios das lavouras e de investimentos e novas linhas de crédito, dentro do Manual do Crédito Rural, para as cooperativas, cerealistas e revendas de insumos, que permitam a repactuação das dívidas. Outro ponto foi solicitação de criação de uma linha de crédito emergencial para agricultores familiares com teto máximo de R$ 30 mil e prazo para pagamento de 10 anos, para recuperação e manutenção das atividades produtivas da propriedade rural.

Em conjunto com a Emater, o secretário apresentou proposta à ministra para simplificar a metodologia das pericias do Proagro – Programa de Garantia da Atividade Agropecuária. As propostas têm por finalidade compatibilizar as recomendações sanitárias oficiais com a necessidade de preservar os direitos dos agricultores atingidos pela estiagem que assola o Estado. Leia mais AQUI AQUI.

Em meio à campanha antecipada de vacinação contra a febre aftosa, o prazo para a apresentação de notas ficais de compra de vacinas às Inspetorias de Defesa Agropecuária ou Escritórios de Defesa Agropecuária foi prorrogado até 30 de abril. A comprovação deve ser feita preferencialmente por meio eletrônico. Leia mais AQUI.

A Ceasa, maior entreposto de hortifrutigranjeiros do Estado e vinculada da Seapdr, adotou medidas para que o abastecimento continue. Saiba mais AQUI.

A Seapdr prorrogou parcelas de contratos do Fundo de Terras do Estado do Rio Grande do Sul (Funterra) e do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper).  Leia mais AQUI.

Atendimento no interior

Por conta do risco de contágio do Covid-19, as Inspetorias de Defesa Agropecuária em todo o Estado estão atendendo com horário reduzido, mas também funcionam por email, telefone e whatsapp. Saiba mais AQUI.

A Secretaria determinou que a colocação de lacres em cargas de suínos com destino a Santa Catarina poderá ser realizada, de forma emergencial, por médicos veterinários de empresas integradoras de suínos habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para emissão de Guia de Trânsito Animal (GTA).  Leia mais AQUI.

As atividades de fiscalização agropecuária continuam. Nesta terça feira (31), a Seapdr fortaleceu as ações no Posto Fiscal de Divisa de Marcelino Ramos, divisa com Santa Catarina, atuando na fiscalização de trânsito de produtos vegetais. Adicionalmente, os fiscais estão desinfestando os veículos oriundos de centros com potencial de disseminação do vírus.

Na Região Central do Estado, duas agroindústrias de beneficiamento de carnes, duas fábricas de laticínios e um frigorífico atendidos pelo Serviço Oficial Seapdr operam normalmente. Conforme a fiscal estadual agropecuária Cláudia Soares, que responde pela inspeção sanitária do frigorífico, em Santa Maria, a administração disponibiliza EPIs (equipamentos de produção individual) e álcool 70% para todos os colaboradores. O controle de qualidade monitora esse uso e orienta sobre barreira sanitária, higienização de mãos e antebraços e distanciamento entre os profissionais. No início das atividades, também é realizada a medição de temperatura dos colaboradores.

Também esta semana, em ação conjunta entre Seapdr, Brigada Militar e Polícia Civil foram apreendidos 25 bovinos sem procedência na localidade da Costa do Bica, no limite dos municípios de Piratini e Canguçu. O responsável pelos animais foi encaminhado à Delegacia da Polícia Civil de Piratini e levado ao presídio de Canguçu. Os animais foram colocados à disposição para que produtores lesados possam identificar outros animais possivelmente furtados.

Texto: Secretaria de agricultura abastecimento e desenvolvimento rural