Porto Seguro lança Consórcio de Veículos Pesados e Maquinário Agrícola

234
COMPARTILHAR

A Porto Seguro Consórcio lançou nessa semana seu Consórcio de Veículos Pesados e Maquinário Agrícola, modalidade voltada à aquisição inteligente e planejada de caminhões, ônibus, tratores, máquinas e implementos agrícolas, rodoviários e construção civil. Sem taxa de adesão, o novo produto está disponível para pessoas físicas e jurídicas. “Após diversos estudos, desenvolvemos uma solução que apresenta a oportunidade de planejamento de compra para o público que utiliza estes veículos e máquinas para trabalhar, pensando em suas demandas específicas, como a necessidade de troca periódica do bem”, conta William Rachid, diretor da Porto Seguro Consórcio.

Os principais diferenciais do Consórcio de Veículos Pesados e Maquinário Agrícola da Porto Seguro são a taxa administrativa competitiva e o prazo de até 120 meses para pagamento, que gera parcelas menores ao longo do plano, comparado à média de mercado, que é de 100 meses. Nos últimos três anos, o número de consorciados dessa modalidade registrou um crescimento de 33,8%, segundo dados de março de 2018 divulgados pela ABAC – Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio.

O Consórcio de Veículos Pesados e Maquinário Agrícola da Porto Seguro oferece cotas de R$ 150 mil a R$ 300 mil, com parcelas mensais a partir de R$ 1.503, já contemplando taxa administrativa, fundo de reserva e seguro de vida. No consórcio, as administradoras formam grupos de pessoas, físicas e jurídicas, com o objetivo de adquirir o mesmo bem, que contribuem mensalmente para um fundo comum. A cada mês, é realizado um sorteio para definir um ou mais integrantes que poderão retirar o dinheiro para a compra do bem desejado, a depender do montante acumulado no fundo.

Além dos sorteios mensais, o consorciado pode aumentar suas chances de contemplação ofertando lances com recursos próprios, ou utilizando parte da própria cota. No caso do Consórcio de Veículos Pesados e Maquinário Agrícola da Porto Seguro, o cliente pode utilizar até 30% do valor da cota para pagamento do lance.