Ônibus da Carris circula com campanha do Aluguel Solidário

COMPARTILHAR

Começou a circular nesta segunda-feira, 7, em Porto Alegre, o ônibus da campanha “Aluguel Solidário – A Vida de Casa Nova”. O veículo da Carris foi envelopado com informações sobre a campanha que pretende diminuir o preconceito e melhorar a oferta de imóveis para o Plano Municipal de Superação da Situação de Rua. O veículo vai realizar um rodízio por diferentes linhas da empresa, com o objetivo de dar mais visibilidade à iniciativa. Neste primeiro dia circulou na linha 343 – Campus Ipiranga.

“Esta parte da ação é importante para mostrar às pessoas que todos podem ajudar a fazer uma cidade melhor”, diz o secretário municipal de Comunicação, Orestes de Andrade Jr. Idealizada pelo Clube de Criação RS e pela Associação Riograndense de Propaganda (ARP), a ação foi viabilizada por meio de parceria, sem qualquer custo para a Companhia ou para a Prefeitura de Porto Alegre. Também já estão circulando 20 veículos com busdoor (peças publicitárias instaladas na traseira do veículo). Nos próximos dias, mais veículos ganharão a adesivagem traseira.

O “Aluguel Solidário” faz parte do programa “Moradia Primeiro”, proposto pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre para oferecer oportunidades de superação da situação de rua às pessoas que já são acompanhadas pelas equipes de abordagem e/ou equipes de saúde. As equipes cadastram e avaliam moradias e encaminham estas pessoas para as residências, além de promover um acompanhamento intensivo. Proprietários de casas ou apartamentos podem fazer parte da campanha e alugar seus imóveis para o programa.

Interessados em cadastrar um imóvel na campanha deve acessar formulário online e responder o questionário de critérios. Se o imóvel atender aos critérios de inclusão uma equipe da prefeitura entrará em contato para poder realizar a vistoria para habilitá-lo ou não no programa e incluir na lista de imóveis cadastrados. Após assinatura do contrato de aluguel, a prefeitura realizará o repasse de recurso no valor de R$ 500 mensais para a conta do locador, por meio de um contrato entre o usuário e locador e autorização de repasse direto.

Crédito: Cristine Rochol/PMPA