O negócio das microcervejarias é tema do Menu Porto Alegre da ACPA

487
COMPARTILHAR

O negócio das microcervejarias artesanais foi o tema do painel com o presidente da Associação Gaúcha de Microcervejarias (AGM), Rodrigo Ferraro, e o diretor da AGM, Marcelo Giulian, na reunião-almoço Menu Porto Alegre, que aconteceu na terça-feira, 10, promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre. O evento, que teve como mediador o jornalista da Bandeirantes, César Cidade Dias foi realizado no Salão Nobre do Palácio do Comércio.

As cervejarias artesanais e independentes gaúchas enfrentam um mercado composto por grupos econômicos internacionais e conquistam seu espaço de forma crescente. Com 142 cervejarias, o Rio Grande do Sul é o estado com maior número de estabelecimentos registrados, seguido por São Paulo, com 124.  E Porto Alegre se destaca como a capital cervejeira, com produção em diversos bairros.

Ferraro explica que o crescimento foi muito rápido. Em 2008, existiam cinco cervejarias artesanais no Rio Grande do Sul, passando para oito um ano depois e 30, em 2013.  Ele afirma que as cervejarias artesanais não concorrem com as grandes marcas multinacionais: “São produtos diferentes e nossa única dificuldade com eles é o potencial financeiro. Eles são capazes de oferecer vantagens para o restaurante vender só suas grandes marcas.”  No entanto, essa realidade está mudando”, ressalva Giulian.

Nos últimos cinco anos, as microcervejarias artesanais de Porto Alegre foram as mais premiadas no Festival Brasileiro de Cerveja, em Blumenau (SC), que aponta os melhores produtos entre as 400 microcervejarias do País. Só nos bairros Anchieta existem 13 cervejarias, e mais cinco no 4º Distrito. Com o objetivo de dar espaço para divulgação deste tipo de empreendedorismo na cidade, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, em parceria com os cervejeiros, criou um tour pelas fábricas desses bairros com o ônibus Linha Turismo. Giulian disse que as fábricas estão se adaptando para bem receber os turistas, mas o tour já é um sucesso.

O segmento artesanal representa algo em torno de 1% do setor cervejeiro. A expectativa é que esse percentual aumente para 9% até 2022. A produção da categoria é estimada 124 milhões de litros por ano. Dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento apontam um crescimento de 37,7% no número de cervejarias registradas no Brasil em 2017, com o total de 679, enquanto 2016 terminou com 493. Estas cervejarias registraram 8,9 mil produtos em 2017. Uma média de 13 para cada marca.

Crédito:Mauro Schaefer