Tampinha Legal alerta sobre a importância guardar tampinhas plásticas durante a quarentena

442
COMPARTILHAR

Mesmo em tempos de isolamento social, a sociedade que contribui com as doações de tampinhas plásticas, pode guardar tudo o que recolher em suas residências, pois as entidades assistenciais necessitarão deste material para transformar em recursos financeiros após a quarentena. O alerta é feito pela coordenadora do programa Tampinha Legal, Simara Souza.

Segundo Simara, esses recursos financeiros serão fundamentais para as entidades assistenciais. “Após a retomada das atividades, as entidades assistenciais cadastradas no programa Tampinha Legal, precisarão das doações de tampinhas plásticas para transformá-las em recursos financeiros que complementarão suas receitas” analisa.

“No Tampinha Legal não há trocas. As entidades assistenciais recebem 100% dos recursos obtidos com a venda do material. Cada tampinha representa uma moeda solidária. Agora, mais do que nunca, é necessária a mobilização de todos. E se puder, entregue-as separadas por cores. Isto agilizará o trabalho voluntário que, por conta da proibição de aglomerações, impede a organização dos mutirões para separação de tampinhas. Então, separe um cantinho em sua casa ou faça um coletor caseiro a partir de garrafas de 5L de água para seu condomínio e siga juntando as tampinhas plásticas”, conclui.

O Tampinha Legal – O Tampinha Legal é iniciativa do Instituto SustenPlást, buscando a melhor valorização de mercado para o material plástico. Recentemente, lançou as ações Copinho Legal e Canudinho Legal que, seguindo o modelo do Tampinha Legal, destinam 100% dos recursos obtidos com a venda dos destes materiais para as entidades assistenciais participantes do programa. Já são mais de R$ 780 mil destinados para as 257 entidades assistenciais participantes do programa e cerca de 420 toneladas de tampinhas plásticas de volta para a indústria. Além do site, também é possível acompanhar o trabalho do Tampinha Legal por redes sociais, como YouTube e Facebook.