Cerimônia “Fala, Professor! (2019)” agraciou os melhores projetos pedagógicos do Rio Grande do Sul

COMPARTILHAR
Vencedores - Foto: Patrícia Batista

Professores de Mato Leitão, Santiago, Santa Cruz do Sul e Tupandi foram os agraciados com o Prêmio Fala, Professores! (2019), na última quinta-feira, 12/12, em uma noite de festa em São Jerônimo. A premiação contou com R$5.000,00 (cinco mil reais) para cada professor e R$10.000,00 (dez mil reais) para respectivas escolas que usarão em investimentos internos. A segunda edição do Prêmio Fala, Professor! teve crescimento de inscrições de mais de 320% se comparado ao número de inscritos em 2018. Este ano, 1.360 projetos de 811 escolas municipais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina concorreram a premiação promovida pelo empresário Otelio Drebes a projetos educacionais e a professores que fazem a diferença em suas comunidades.

Otelio Drebes, o anfitrião da noite, recebeu os convidados com alegria e abraços, entre eles, todos os 12 finalistas – professores de Campo Bom, Canoas, Lajeado, Novo Hamburgo, Restinga Seca e Teutônia–, com suas turmas. “Vocês deram lição de como faz educação de qualidade”, falou Drebes ao público. “Eu gostaria de deixar o recado para outros empresários: ‘vocês podem ser úteis passando suas experiências para jovens da comunidade, criar projetos para que mais pessoas possam se desenvolver’”. Drebes é um  amante da educação, em suas palestras pelo estado sempre prega pela valorização do aprendizado contínuo, graças a isso criou o Fala, Professor! em 2018.  “Esse é o mínimo, o pouquinho que estou fazendo da minha vida, dando minha contribuição para educação”, finalizou.

Casal idealizador do prêmio: Otelio e Marileme Drebes. Foto: Patricia Batista

Em parceria da esposa, Marilene Pires Drebes, que é professora de carreira, ambos propagaram o poder da educação. “Os vencedores são todos que estão aqui”, disse Marilene à plateia. “Não importa a dificuldade que vocês enfrentem, vocês são pessoas que amam o que fazem e fazem bem. Como professora eu digo, ‘me orgulho da minha profissão’. Meu muito obrigada a vocês, meus colegas”, completou.

Premiados
Na categoria Educação Infantil, o projeto agraciado foi “As surpresas dos buracos – Vida e Potência das Minhocas”, da professora Chalimar da Rosa, da Escola Municipal de Educação Infantil Vó Olga, de Mato Leitão. A ação estimula a curiosidade das crianças em relação à natureza e seus elementos. Através disso, os alunos construíram um minhocário e realizam constantes pesquisas sobre a vivência, desenvolvimento e potencialidades das minhocas, possibilitaram grandes aprendizagens, atitudes concretas de solidariedade e cooperação entre crianças, professoras e comunidade escolar.

Bicampeã, a EMEF Sebastião Colpo de Santiago foi agraciada pela segunda vez, dessa vez com o projeto “Movimentação”, da professora Cleide dos Santos, na categoria Anos Iniciais. Através de oficinas, os alunos transformam objetos recicláveis em subsídios à prática de diferentes modalidades dentro das aulas de educação física, como a esgrima, o golfe, beisebol, além de brincadeiras diferenciadas que potencializam as habilidades manipulativas, estabilizadoras e locomotoras das crianças, de uma maneira lúdica e divertida. Segundo Cleide, é uma forma de conscientizar os alunos acerca do reaproveitamento de objetos presentes no dia a dia, fomentando o espírito responsável, além despertar a criatividade. Com os recursos criados, foi possível vivenciar práticas que muitas vezes estão distantes da escola, possibilitando o conhecimento e apreciação das crianças por diferentes modalidades esportivas, conectando-as a uma nova realidade através do movimento.

 Na categoria “Anos Finais”, a professora Betânia Mahl, de Santa Cruz do Sul, foi agraciada, o projeto “Expoagro Afubra – Agricultura e meio ambiente”, da EMEF Luiz Schroeder tem como objetivo instigar o aluno a refletir sobre ações concretas para melhoria do meio ambiente, analisando a vida no meio rural, sendo que a escola está localizada em área urbana.  Segundo Betânia, os resultados já estão sendo alcançados e a escola usufrui dos produtos plantados e colhidos na horta escolar, sem agrotóxico, na merenda e nas festividades promovidas pela comunidade escolar. Já houve a construção da composteira e há ações de recolhimento de óleo saturado, de latinhas, de lacres e tampinhas plásticas para doação a ONGs. Brinquedos também são confeccionados com uso de materiais recicláveis para uso das crianças das séries iniciais.

Com votação popular, a categoria especial “Música, alegria na escola” alcançou 150 mil votos únicos, agraciando o projeto “O Estúdio da Escola”, do professor Lindomar Pundrich, da escola Escola Municipal de Ensino Fundamental São Francisco, de Tupandi. O objetivo é trazer para dentro da escola a possibilidade de aprender sobre os mais diferentes conceitos da produção de música, principalmente por meio da composição, que é apresentada por diferentes metodologias ativas aos alunos. Compor música proporciona a oportunidade de refletir e tomar decisões a respeito de aspectos inerentes. Gravar o que se compõe faz com que, quase imediatamente, se tenha a resposta sonora, o resultado, que abre portas para novas reflexões.  Dentre os resultados, o professor citou a aquisição de habilidades pelos alunos referentes à prática de composição, como ser capaz de escrever versos e musicá-los, fazer paródias e inventar jogos musicais.

Os critérios de avaliação dos projetos abrangeram o envolvimento dos estudantes no projeto, a criatividade, inovação desenvolvimento do espírito de cooperação e civilidade, além de benefícios à comunidade local e impacto social. A comissão avaliadora contou com mais de 140 especialistas em educação.