Bebeto Alves inaugura exposição na Galeria Mario Quintana da Trensurb

381
COMPARTILHAR

A partir desta segunda-feira, a Galeria Mario Quintana, na Estação Mercado da Trensurb, recebe nova exposição, parte do projeto O Voo da Pedra (Arqueologia do Presente), do músico, fotógrafo e artista visual Bebeto Alves. O trabalho, fundamentalmente experimental, tem participação e curadoria do também artista visual Antônio Augusto Bueno.

Na Galeria, está exposta uma das obras que fazem parte do projeto, acompanhada de um poema. No dia 18 de junho, às 14h, o artista e curador Antônio Bueno realizará uma interferência gráfica na peça, promovendo um diálogo do olhar de um artista sobre a obra de outro e transformando-a num trabalho verdadeiramente a quatro mãos. O Voo da Pedra segue na Galeria Mario Quintana até o final de agosto.


A exposição principal está em cartaz no Aberto Caminho de Artes, na Rua Dr. Armando Barbedo, 356, no bairro Tristeza, em Porto Alegre. “Está sendo uma exposição quase itinerante, porque tem um pedaço dela em cada lugar, tem sido uma provocação para nós”, afirma Bebeto Alves. Tendo como ponto de partida a fotografia, O Voo da Pedra apresenta um ensaio visual em diferentes suportes e linguagens, como objetos, vídeo, sobreposições de imagens em diferentes materiais, utilizando distintas técnicas de impressão. Traz, inclusive, a transferência de uma fotografia de uma gravura rupestre do litoral catarinense para uma pedra litográfica. Bebeto conta que “essa ideia surgiu de uma civilização que existiu no litoral norte de Santa Catarina há quase dez mil anos, e eu encontrei uma pessoa que me indicou umas pedras onde existiam marcas desse pessoal e que, ali no litoral, eles chamam de ‘pedras das dedadas’, porque são pedras que têm marcas profundas, parece que passaram os dedos nelas”. Segundo o artista, em meio às diversas descobertas arqueológicas, inclusive das pedras usadas como amoladores, descobriu-se toda uma cultura, com rituais religiosas e outras particularidades. “A história do Voo da Pedra é isso, a arqueologia do tempo”, afirma Bebeto.


Nas palavras do curador, o projeto “abre um leque para possíveis leituras e interpretações. É um convite para uma viagem, onde Bebeto nos apresenta imagens de gravuras rupestres feitas por nossos ancestrais em pedras do litoral do sul do Brasil – ainda vivas e atuais nos dias contemporâneos – ao lado de carcaças de celulares de pouquíssimos anos atrás, já obsoletos e descartados na areia da mesma praia”.


Serviço

O que: exposição O Voo da Pedra (Arqueologia do Presente), de Bebeto Alves
Quando:
de 3 de junho a 30 de agosto, todos os dias, das 5h às 23h20

Onde:
Galeria Mario Quintana, localizada no túnel de acesso às plataformas da Estação Mercado da Trensurb