AAMACRS organiza leilão de arte contemporânea na ala residencial do Palácio Piratini

COMPARTILHAR

Com a missão de arrecadar fundos em prol da construção da nova sede do MACRS, a Associação dos Amigos do Museu de Arte Contemporânea do RS realizará na noite de 19 de novembro um leilão na ala residencial do Palácio Piratini. Importantes artistas estão engajados na causa e doaram obras de seu acervo para a ocasião. O evento, que está sendo organizado em parceria com a Secretaria de Estado e Cultura, terá capacidade para receber aproximadamente 100 pessoas interessadas em adquirir as cerca de 100 obras que estarão disponíveis para compra.

O projeto da nova sede do MACRS no IV Distrito, transcenderá os tradicionais espaços expositivos, rompendo paradigmas de intervenção e interação, transformando a relação das pessoas com o Museu e representará uma nova experiência no campo social da arte.

O público será recepcionado a partir das 19h no Salão de Verão, onde será servido um coquetel com assinatura do Grupo Press Gastronomia no jardim, e o evento segue até as 23h. Os ingressos podem ser adquiridos com os curadores sociais do leilão, personalidades gaúchas atentas à causas filantrópicas, entre eles Patricia Parenza, Carla Tellini, Luciano Faraco, Desireé Brancato, Fabio Bernard – e também através do telefone 51 99114 2033, por R$ 500.

“A Associação é uma instituição privada de caráter público, sem fins lucrativos, e trabalha voluntariamente para desenvolver projetos que repensam o papel do Museu no século XXI. Com a finalidade de integrar as ações que buscam recursos para garantir a sustentabilidade econômica do MACRS, que atualmente abriga mais de 1300 obras, contamos com as principais galerias de arte da cidade para conseguir com doações de obras dos seus artistas representados e acervos”, completa Marcio Carvalho, diretor da AAMACRS.

“Um museu educativo, inclusivo e dedicado ao desenvolvimento humano, trabalhando diretamente com os artistas e os diversos públicos locais para receber visitantes de todos os lugares”explica André Venzon, diretor do MACRS.