IV Prêmio CROSP de Jornalismo: conheça os vencedores

2197
COMPARTILHAR

Thaiza Pauluze, Paulo Emanuel Lopes, Maríndia Moura e Amanda Sanches foram os vencedores do IV Prêmio CROSP de Jornalismo. Os ganhadores receberam a premiação em 18.12, durante evento realizado na Casa da Odontologia Paulista, em São Paulo. Os outros finalistas também foram contemplados com certificados de participação, na presença de conselheiros da autarquia.

O Prêmio criado pelo Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) com o intuito de valorizar a produção jornalística voltada para a saúde bucal recebeu inscrições de todo o país. Os trabalhos concorreram nas categorias escrita e audiovisual, subdivididas, respectivamente, em: escrita nacional e regional, escrita on-line, telejornalismo e radiojornalismo. Cinco reportagens foram selecionadas para cada subcategoria.

Thaiza recebeu o prêmio pela publicação de “Trans agredidas ganham dentes e autoconfiança em ação de Ong”, veiculada no jornal Folha de S. Paulo. A reportagem que venceu na subcategoria escrita nacional e regional aborda o trabalho de cirurgiões-dentistas voluntários no atendimento a mulheres e transexuais que sofreram violência.

“Fiquei muito feliz com a premiação do CROSP porque essa reportagem aborda um assunto pouco debatido. Mostra a história de vítimas de uma violência devastadora e de que forma a recuperação da aparência – um dente – contribuiu para o resgate da dignidade delas”, comenta a jornalista.

“Prevenção ainda é desafio para saúde bucal no Brasil” escrita por Paulo Emanuel Lopes para o site do O Povo, ganhou na subcategoria on-line. De modo geral, a publicação aponta como a população ainda cultiva o hábito de procurar por atendimento odontológico apenas quando surge um problema sério.

“Quando as entrevistas foram feitas nos deparamos com esse padrão. Os profissionais relataram que os pacientes teimavam em buscar atendimento apenas no aparecimento de problemas, quando deveriam se dedicar mais a tratamentos preventivos. É uma honra ter um texto reconhecido, mas é importante que se diga que essa conquista é de toda equipe que compõe o LAB 282, do Grupo de Comunicação O POVO, de Fortaleza”, avisa.

Maríndia Moura, da Rede Amazônica (afiliada da Rede Globo) ganhou na subcategoria telejornalismo com a reportagem “Dentistas voluntários montam consultório em barco para atender indígenas”. Exibida também pelo Jornal Hoje (rede nacional), ela revela a ação de cirurgiões-dentistas voluntários que cuidam da saúde bucal das comunidades indígenas e ribeirinhas isoladas em Rondônia.

“Fiquei surpresa e muito feliz com o prêmio que valoriza toda a categoria, já que não é apenas o repórter que constrói a matéria, mas toda a equipe de produção. O que me deixou muito emocionada também foi o fato de ver reconhecido o trabalho realizado por esses cirurgiões-dentistas, que saem de São Paulo e deixam suas vidas por 45 dias para atender com toda tecnologia de ponta as comunidades que vivem isoladas”.

Amanda Sanches venceu na subcategoria radiojornalismo com “Amamentação contribui para o desenvolvimento da saúde bucal do recém-nascido”, que foi ao ar pela 94 FM de Bauru. A produção revela a importância dos cuidados com a boca, mesmo nos primeiros meses de vida.

“Esse prêmio foi fundamental para minha vida profissional, pois sempre acreditei em pautas de saúde. Nessa matéria abordei um tema muito sensível que é a questão da amamentação e o quanto esse processo é fundamental para o desenvolvimento do bebê. Espero que o Conselho continue enviando suas sugestões de pauta para as redações de todo o país e assim possamos contribuir para que a população tenha uma saúde cada vez melhor”.