Inovações na área de genética bovina serão destaque do Agroleite 2018

353
COMPARTILHAR

Reconhecida oficialmente como a Capital Nacional do Leite, a cidade de Castro/PR sediará, entre os dias 14 e 18 de agosto, no Parque de Exposições Dario Macedo, mais uma edição do Agroleite, um dos maiores eventos técnicos do País voltado a todas as fases da cadeia do leite. Para o produtor rural, tanto do Brasil quanto de outros países, a exposição será uma oportunidade de conhecer diversas inovações tecnológicas desenvolvidas para elevar a produtividade do rebanho.

A cidade de Castro é um exemplo de como o setor pode avançar com a adoção de tecnologias de ponta. No município, são produzidos anualmente 255 milhões de litros de leite, com produtividade média de 7.478 litros por vaca ao ano, quase sete vezes acima da média nacional, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre os segmentos que têm permitido a melhoria da qualidade dos rebanhos leiteiros do País está o de genética bovina. Em 2017, o Brasil comercializou mais de quatro milhões de doses de sêmen de raças leiteiras. O Paraná foi o estado brasileiro que mais inseminou vacas leiteiras em 2017, junto com o Rio Grande do Sul, de acordo com dados da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA). O Brasil também é líder mundial na produção de embriões.

Laboratório de FIV na Cidade do Leite atende demanda por embriões no Sul do Brasil.

Durante o Agroleite 2018, a empresa celebrará um ano de atuação na região de Castro, onde inaugurou seu laboratório de FIV (Fertilização in Vitro) na Cidade do Leite na edição passada do evento. “No Agroleite deste ano, vamos lançar o ‘1º Catálogo de Doadoras do Projeto UpGen’, voltado para a produção personalizada de embriões a partir da genética de doadoras e touros de alta qualidade. O produtor poderá escolher qual dos três grupos de doadoras do Catálogo atende melhor o seu sistema pecuário, se é o Progress ou o Advance, que são focados na produção e classificação dos animais, ou o Elite, para quem deseja selecionar animais para participar das competições de julgamento das exposições. O objetivo é atender todos os tipos de produtores”, informa o o zootecnista Rodrigo Fiorani, gerente geral do laboratório Cenatte Embriões.

No Catálogo, será possível conhecer as características específicas de cada doadora e que, a partir de um acasalamento dirigido com touros selecionados, poderão ser transmitidas às suas progênies, além das histórias das fazendas produtoras das genéticas ofertadas pela UpGen e suas contribuições para a pecuária nacional e internacional”, observa Rodrigo Fiorani.

Como na pecuária leiteira a qualidade do sêmen utilizado na inseminação artificial também reflete na rentabilidade do negócio, a expectativa é de que os visitantes do Agroleite aproveitem o evento para definir quais touros vão utilizar nas futuras inseminações do rebanho. Segundo Hilton Ribeiro, médico-veterinário e distrital na região ABCW do Paraná da central de inseminação Semex Brasil, a expectativa é que a melhora no preço do leite recebido pelo produtor nos últimos meses possa ajudar a aquecer o mercado de sêmen. “Este é o momento de investir em touros provados, para promover o melhoramento genético do rebanho e, assim, aumentar a produção de leite da fazenda. Entre as novidades que vamos apresentar no Agroleite está o lançamento de novos touros Holandês, líderes mundiais sexados, de alto desempenho em características de grande impacto econômico para a pecuária, como TPI, LPI e conformação. Já na raça Jersey, teremos touros líderes mundiais em sistema mamário”, explica Hilton.

A Semex está entre as finalistas do Troféu Agroleite, na categoria Genética, cujo anúncio dos vencedores ocorrerá no dia 15 de agosto no Memorial da Imigração Holandesa. A empresa ganhou oito vezes o Troféu Agroleite. Já o diretor de Mercados da Semex Brasil, Cláudio Aragon, concorre na categoria “Técnico do Ano”.