Da Serra gaúcha para o Brasil

COMPARTILHAR

 Embutidos agro-familiar – Foto:  Camila Domingues

Caxias do Sul é oitavo município do Rio Grande do Sul a obter a equivalência do serviço de inspeção municipal de produtos de origem animal junto ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-Poa) do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (Mapa).

Com isso, inicialmente, quatro estabelecimentos (dois laticínios, uma granja de ovos e derivados e um entreposto de produtos cárneos e lácteos) poderão comercializar seus produtos em todo o território nacional. Outros sete municípios gaúchos – Alegrete, Erechim, Marau, Rosário do Sul, Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Santana do Livramento – já possuem o atestado de equivalência.

Titular da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Smapa), Camila Sirena informou que a “adesão ao Sisbi-Poa é uma grande conquista para agroindústrias de Caxias do Sul, que a partir de agora rompem as fronteiras do município e podem vender seus produtos para todo o Brasil. Assim elas se tornam mais competitivas e ampliam seus negócios, oportunizando a sucessão familiar”.

Renato Rotta Junior, empresário de 51 anos, há duas décadas abriu uma agroindústria de entreposto de fatiados, no bairro Santa Catarina, em Caxias, com produção de 480 toneladas ao ano. Por enquanto, a empresa dele é a única no Rio Grande do Sul certificada com inspeção federal para fatiamentos de dois tipos de frios, lácteos e carnes.

“Nós estávamos esperando há bastante tempo essa certificação para expandir o nosso mercado, crescer e gerar novos postos de trabalho. Essa adesão será boa para minha empresa e para o município, porque o agronegócio terá seu desenvolvimento econômico incentivado. Estamos muito felizes com isso”, afirmou ele.

Com a possibilidade de comercializar para outras regiões do Brasil, o produtor precisará adquirir mais matéria-prima, beneficiando direta e indiretamente outros agricultores locais. A melhora da qualidade de vida das famílias que tiram o sustento da agroindústria é uma conquista que promove desenvolvimento em toda a região, aquecendo a economia local e garantindo mais prosperidade ao município.

O município que pretende aderir ao sistema precisa formalizar o pedido junto ao Ministério da Agricultura, que ficará responsável pela análise documental e operacional com intuito de averiguar a atuação dos serviços municipais na fiscalização dos estabelecimentos.

Depois das auditorias para comprovar que os órgãos municipais cumprem fielmente as exigências impostas pelo ministério, a instituição reconhece a equivalência do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal da secretaria responsável no município e autoriza a adesão ao Sisbi.

Outro setor da agroindústria já tem o que comemorar. Desde junho do ano passado, os produtos como queijos, salames, mortadelas e geleias produzidos de forma artesanal – e sem processamento industrial – podem ser comercializados fora dos estados de origem apenas com o selo estadual. Com a norma, os produtos passam a ser identificados com um selo único (com a inscrição Arte).

Até então, os produtos só podiam ser vendidos para outro Estado se tivessem o selo do SIF, que leva até dois anos para ser emitido pelo Ministério da Agricultura. A legislação simplifica normas de inspeção sanitária de alimentos embutidos, como linguiças e salsichas, feitos em pequenas agroindústrias artesanais. Estas são caracterizadas por usar receitas familiares, que passam de geração, e utilizam insumos ligados a práticas alimentares da comunidade onde se localizam.

Certificações disponíveis para a agroindústria
SIM – os produtos vendidos dentro do município recebem o Selo de Inspeção Municipal (SIM), concedido pela Secretaria Municipal de Saúde, conferindo qualidade.

SIE – os alimentos vendidos apenas no Estado recebem o Selo de Inspeção Estadual (SIE), da Secretaria de Agricultura.

SIF – os produtos comercializados para fora do Estado ou para outro país precisam ter o selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), que indica a procedência do alimento pelo Ministério da Agricultura.

Sisbi – os estabelecimentos que aderem ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi) passam a integrar o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa) e a utilizar o selo do Sisbi.