Criadores de Cavalo Crioulo apostam na qualificação dos eventos

COMPARTILHAR

Apesar das dificuldades do ano de 2018 em relação à economia, o segmento do Cavalo Crioulo deve apresentar números de crescimento no fechamento do ano. A avaliação é do presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Francisco Fleck. A sinalização vem de bons resultados já percebidos em alguns segmentos como eventos e leilões, especialmente no que diz respeito ao interesse observado nas chamadas regiões de fomento da raça, que englobam o Centro e o Norte do Brasil.

Conforme Fleck, 2018 finaliza com leve alta nos números de comercialização, pois a raça não perdeu mercado em relação às vendas. “Claro que os valores não são os mesmos, igual ao que ocorre em diversos setores, mas os criadores estão se adaptando na forma de fazer sua comercialização com menores custos. O importante é que a raça manteve a liquidez e o número de eventos é crescente, assim como o número de animais participando destes eventos”, reforça.

Para 2019, o presidente da ABCCC projeta novo crescimento, mas também destaca que a associação está trabalhando na qualificação dos eventos realizados pela entidade. O início se deu com a reorganização das classificatórias ao Freio de Ouro, que serão realizadas em cinco etapas no Brasil, além de uma na classificatória na Argentina e outra no Uruguai. “Estamos trazendo mais eventos para a nossa cidade do Cavalo Crioulo, em Esteio (RS), exatamente para ampliar e qualificar a participação de mais gente”, salienta.

Francisco Fleck – Crédito: Felipe Ulbrich/ABCCC Divulgação

As datas do Freio de Ouro, por sinal, já estão definidas. Entre março e julho de 2019 ocorrerão sete classificatórias. As provas que selecionam os melhores do ciclo irão definir seus campeões na final do Freio, que acontecerá durante a próxima Expointer.

Além disto, Fleck salienta também que outras finais de modalidades do Cavalo Crioulo estão passando por qualificações, como o Crioulaço e o Rédeas de Ouro, visando dar maior visibilidade a estes eventos e também comodidade aos participantes das competições.

Já em fevereiro, a cabanha Santa Edwiges, de São Lourenço do Sul, um dos criatórios mais premiados do Freio de Ouro, realizará seu Leilão Liquidação Total, sob o comando da Trajano Silva Remates. Tradicional no segmento do Cavalo Crioulo, com 17 Freios de Ouro, a cabanha estará comercializando as últimas cotas do garanhão Equador de Santa Edwiges, falecido em 2017 e considerado um dos cavalos com maior valor de mercado na história da raça.
Destaque: Exposição Raça Crioula – Crédito Fagner Almeida/ ABCCC Divulgação