Castelinho e sua sabedoria

456
COMPARTILHAR

Eu tinha anotado na minha agenda de ligar hoje, quinta-feira, 12 de julho, para o Lucídio Castelo Branco, que muita gente conhecia como Castelinho. Pois, acordo com a notícia de seu falecimento, aos 91 anos de idade. O enterro acontece logo mais, às 14h30 no cemitério João XXIII, em Porto Alegre.

Irmão do famoso colunista de política Carlos Castelo Branco, do Jornal do Brasil, Lucídio teve uma carreira igualmente exitosa, dirigindo, inclusive, a sucursal do JB em Porto Alegre. Foi líder sindical e classista, presidindo o Sindicato dos Jornalistas do RS e a Fenaj, nas décadas de 60/70.

Trabalhei com ele dois anos, durante o governo Collares. Ele gerindo a publicidade e eu chefiando o gabinete do secretário de Comunicação Dilamar Machado. Daí criamos uma sincera amizade. Sempre que nos encontrávamos, eu dizia: Castelinho, quem dera eu chegar um dia com toda a tua sabedoria. Ao que ele respondia: Julinho, troco agora toda a minha sabedoria pela tua idade.

O motivo da minha ligação seria de convidá-lo para o lançamento do 4º volume da série Nomes Que Fizeram a Imprensa Gaúcha, que ocorrerá na semana que vem, e que, justamente, resgata, reconhece e celebra a contribuição de colegas para a formação e qualificação do jornalismo no RS, e entraram para a antologia de nossa imprensa. Gente como o Castelinho. Vai em paz meu amigo! (Julio Ribeiro)