Campanha “Você me conhece?” retrata visibilidade de profissionais negros

112
COMPARTILHAR

A nova campanha do Instituto Identidades do Brasil (ID_BR) chamada “Você me Conhece” discute a falta de diversidade em altos cargos. Segundo pesquisa do Instituto Ethos, 1% é o percentual de mulheres negras e 5% de homens negros em cargos executivos. Participaram da ação a jornalista Glória Maria, a médica Katleen Conceição, o diretor executivo da AEGEA Josélio Raymundo, o rapper Jota Jr., a advogada Ana Carolina Lima, o dramaturgo Elísio Lopes e a diretora executiva do ID_BR, Luana Génot.

150 anos é o tempo estimado para a redução das desigualdades raciais no Brasil segundo o Instituto Ethos. Pensando em acelerar esse tempo o Instituto Identidades do Brasil (ID_BR) lançou a campanha “Você me conhece” que reúne profissionais negros de diferentes áreas do mercado de trabalho. A ideia é mostrar que eles estão preparados para ocupar cargos de liderança. “Queremos mostrar que os profissionais negros precisam de mais visibilidade e oportunidades para potencializar suas carreiras e que as empresas têm um papel fundamental para mudar esse cenário”, explicou Luana Génot, diretora executiva do ID_BR.

A campanha quer mostrar que a falta de diversidade racial no mercado de trabalho reflete uma realidade de exclusão e desigualdade. Apenas 5% é o percentual de negros em cargos executivos nas 500 maiores empresas do Brasil e menos de 1% são ocupados por mulheres negras (Instituto Ethos).

Luana acredita que as empresas mais alinhadas com a realidade do Brasil, onde 54% da população é negra (IBGE), estão a frente no mercado. “O protagonismo na mudança desse cenário também se traduz em valor de mercado. Uma empresa com mais diversidade racial tem uma vantagem competitiva comparada as que ainda não priorizam a pauta “. A diretora executiva se refere aos dados que revelam que empresas com índices altos de diversidade de raça têm 35% mais probabilidade de obter resultados acima da média no seu ramo divulgado pela McKinsey & Company.