Antônio Hohlfeldt é um dos jurados do Prêmio Camões 2019

COMPARTILHAR

Antonio Hohlfeldt – Foto Camila Cunha

Considerado o mais importante prêmio da língua portuguesa, contempla anualmente autores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP. A comissão é composta por seis jurados, dois representantes do Brasil, dois de Portugal e outros dois de países africanos de língua oficial portuguesa.

Nesse ano, Antonio Hohlfeldt será um dos jurados desse importante prêmio. Nascido em Porto Alegre, jornalista, professor e crítico teatral, Hohlfeldt também é presidente da Fundação Theatro São Pedro, além de ser autor de vários livros sobre Teoria da Comunicação, Literatura brasileira, Literatura do Rio Grande do Sul e ficção para crianças e jovens.

O Prêmio Camões de Literatura foi instituído em 1988 com o objetivo de consagrar um autor de língua portuguesa que, pelo conjunto de sua obra, tenha contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural da língua portuguesa. A Menção Internacional foi criada pelo Protocolo Adicional ao Acordo Cultural entre os governos português e brasileiro, representados, respectivamente, pela Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das bibliotecas/Secretaria de Estado da Cultura (Portugal), e pela Fundação Biblioteca Nacional/MinC (Brasil).

Cada ano são seis jurados, dois representando o Brasil, dois representantes de Portugal e outros dois pelos países africanos de língua portuguesa. Já passaram pelo júri nomes ilustres como Moacyr Scliar, Carlos Nejar, João Ubaldo Ribeiro e Arnaldo Niskier. Já entre os ganhadores brasileiros estão escritores consagrados como Dalton Trevisan, Lygia Fagundes Telles, Jorge Amado e Rachel de Queiroz.

Confira a lista completa dos ganhadores
2018 – Germano Almeida (Cabo Verde)
2017 – Manuel Alegre (Portugal)
2016 – Raduan Nassar (Brasil)
2015 – Hélia Correia (Portugal)
2014 – Alberto da Costa e Silva (Brasil)
2013 – Mia Couto (Moçambique)
2012 – Dalton Trevisan (Brasil)
2011 – Manuel António Pina (Portugal)
2010 – Ferreira Gullar (Brasil)
2009 – Armênio Vieira (Cabo Verde)
2008 – João Ubaldo Ribeiro (Brasil)
2007 – António Lobo Antunes (Portugal)
2006 – Luandino Vieira (Angola)
2005 – Lygia Fagundes Telles (Brasil)
2004 – Agustina Bessa-Luís (Portugal)
2003 – Rubem Fonseca (Brasil)
2002 – Maria Velho da Costa (Portugal)
2001 – Eugênio de Andrade (Portugal)
2000 – Autran Dourado (Brasil)
1999 – Sophia de Mello Breyner Andresen (Portugal)
1998 – Antonio Cândido de Melo e Sousa (Brasil)
1997 – Artur Carlos M. Pestana dos Santos, o Pepetela (Angola)
1996 – Eduardo Lourenço (Portugal)
1995 – José Saramago (Portugal)
1994 – Jorge Amado (Brasil)
1993 – Rachel de Queiroz (Brasil)
1992 – Vergílio Ferreira (Portugal)
1991 – José Craveirinha (Moçambique)
1990 – João Cabral de Melo Neto (Brasil)
1989 – Miguel Torga (Portugal)