monkey-land estreia primeiro trabalho para will bank

COMPARTILHAR

“Olá, eu sou um banco digital, mas pode me chamar de will.” É assim que se apresenta o banco digital, que chega com o objetivo de ser o mais democrático e abrangente do Brasil, em sua campanha de lançamento.

A equipe de marketing do will e o estúdio criativo monkey-land trabalharam juntos para encontrar o tom de voz, a personalidade do Banco e também traduzir para o público de maneira mais agradável tudo o que envolve o vocabulário do universo bancário.

Para o lançamento, três filmes contam essa história, usando novas remixagens e beatbox do funk de Kevin O Chris e Sodré – “Evoluiu”, que, na campanha, se transforma num trecho com fonética similar “Eu sou o will”; ora assim, ora mantendo a palavra original – afinal, é isso que o banco pretende mostrar, que o serviço evoluiu mesmo.

O primeiro filme busca traduzir para o português o “chatês” bancário. Assim, “TED, no Will, é ‘Tô Enviando Din din'”, já o “PIX significa ‘Pagamento Instantâneo, Xará'”. E com muito movimento, embalados pelas versões do funk, que os outros dois filmes apresentam a Conta Digital, onde o dinheiro não fica parado e rende mais que a poupança; e o Cartão de Crédito, sem tarifa e sem anuidade.

Segundo o CEO, Felipe Felix, “a estratégia do will é se comunicar com uma linguagem fácil. A escolha do nome will é um dos pontos que mostram como o banco planeja criar uma relação mais amistosa com as pessoas. É moderno e fácil de lembrar. Esses atributos são importantes para comunicar que estamos ao lado do cliente para ajudá-lo a ter uma relação mais leve com o dinheiro”.

O will bank quer ser percebido como o banco digital mais democrático e abrangente do Brasil. Para chegar lá, a fintech criou uma ampla linha de serviços e produtos isentos de taxa, como cartão múltiplo internacional, conta corrente que rende acima da poupança, tecnologia contactless (sem contato), saques na rede Banco24Horas, entre outros.

Além do posicionamento, monkey-land é responsável por toda a comunicação institucional do will bank em 2021. O estúdio criativo tem projetos em andamento para marcas como OMO, Instituto Península, Bonafont, cerveja St. Patrick’s, Ninho, Dóris.mobi, Corinthians, entre outras.

Quem é o will? O will bank deriva do pag!, fintech criada em 2017 e que recentemente ultrapassou a marca de 1 milhão de clientes distribuídos em todas as regiões do país, sendo 80% deles em cidades com menos de cem mil habitantes.

Ainda em fase Beta, para ser construído próximo dos usuários e ouvir o que eles têm a dizer, os interessados em abrir uma conta ou solicitar o cartão múltiplo podem preencher o formulário de pré-cadastro no site https://www.willbank.com.br/.

FICHA TÉCNICA
Cliente: will bank
criação: monkey + will
will: Daniel Feitoza e Ingrid Pereira
monkey: Leonardo Claret, Gabriel Soeiro, Toni Fernandes, Saulo Sanchez e Ricardo Forli
Produtora de imagem: CAVE
Direção: Rafael Kent
Produção Executiva: Tânia Assumpção
Pesquisa Criativa: Daniel Tandy
Coord. de Produção: Arianne Elias
Direção de Fotografia: Felipe Hermini
Direção de Produção: Vitinho Ferrrari
Ass. Prod. Executiva: Dzyan Ricioli
Ass. de Direção 1: Daniel Reigada
Ass. de Direção 2: Manu Fenerich
Produtora: Jubz Lima
Direção de Arte: Eduardo “Crox” Kissajikian
Produtor de Arte: Thiago H Strassalano
Produção de Objetos: Winnie Ramos
Efeitos: Bruno Steger
Produção de Casting: Mei Yi Ho
Figurino: Marquinhos Cherevek
Make: Iris Bittencourt
Pós-Produtora: Gafanhotto Post
Finalizadores: Cris Caffaro e Driano Torres
Assistente de finalização: Maria Angélica Cesarotti
Comp Flame: Jr Polenga
Color Grading: Acauan Pastore
Montagem: Guilherme Falotico e Rafael Kent
Motion e Animações: Jellyframe Studio
Produtora de Som: Satelite Audio
Direção Musical: Roberto Coelho, Kito Siqueira, Hurso Ambrifi e Thiago Colli
Atendimento: Nicole Bonnet, Larissa Sarkis e Carol Araújo
Produção Musical: Roberto Coelho, Kito Siqueira, Hurso Ambrifi, Mike Vlcek, Thiago Colli, Charly Coombes, Koitty e Helton Oliveira
Finalização: Carla Córnea, Pedro Macedo, Ian Sierra, Renan Marques e Vithor Moraes
Coordenação de produção: Ana Cordeiro, Larissa Costa e Débora Mello.
Locução: Rafael Kent