Com histórias reais, Pravaler reforça poder transformador da educação em nova campanha

159
COMPARTILHAR

Estreou nesta semana a primeira campanha de 2021 do Pravaler, fintech de soluções financeiras para educação no país. Abrindo mão de peças mais tradicionais, a campanha “Estuda que Muda” é inspirada em histórias reais de alunos, familiares e professores que fizeram a diferença por meio da educação. Criada pela agência CL, a campanha contará com filme-manifesto, ações de digital, além de filmetes de 30 e 15 segundos que apresentarão as histórias dos personagens ligados direta ou indiretamente ao Pravaler, a serem exibidos na TV, nos canais oficiais da fintech e nas redes sociais.

Os filmes apresentam pessoas reais que escolheram a educação como ponte para a realização dos sonhos e superaram barreiras. “Investir em educação ainda é uma dificuldade para muitos brasileiros. Trouxemos personagens reais para mostrar, na prática, o poder transformador da educação e estimular que ninguém desista do sonho de estudar, mesmo nesse momento desafiador”, explica Paula Cardoso, head de marketing e experiência do cliente do Pravaler. “Estas pessoas vêm para dar o exemplo e fazer com que o público se conecte com suas histórias, potencializando o poder multiplicador que a educação tem”, defende.

Entre os personagens inspiradores está a estudante Simoni Nunes, que conseguiu um garantidor para seus estudos durante as vendas de pastel na praia, trabalho que realizava com a família para bancar a faculdade. A história do professor da comunidade indígena Matiri (RR), Telmo Ribeiro, também emociona e mostra que o compromisso e amor pela docência pode mudar a vida de muitos estudantes. “Queremos encorajar, inspirar as pessoas, mostrar que educação é um caminho para mudanças. Por isso, ao invés de criar peças conceituais, decidimos abrir espaço para o protagonismo desses depoimentos reais e poderosos”, explica Alê Alves, CEO da agência CL.

A campanha é a primeira após o reposicionamento da marca, que traz mais peso ao propósito de facilitar o acesso à educação, posicionando-o ainda mais no centro do negócio, e chega como um reforço neste primeiro semestre do ano, momento tradicionalmente marcado pela alta captação de alunos. Atualmente, a fintech beneficia mais de 170 mil alunos em todo o País e tem a meta de chegar a 1 milhão até 2025.