COMPARTILHAR

Caiu na web e no campo

Escrevo esta coluna recém-chegado de mais uma incursão a uma das inúmeras feiras do agronegócio, que acontecem sem parar no nosso país rural e que movimentam – sempre para cima – o PIB brasileiro.

E, como faço nestas ocasiões, converso com os produtores para saber como a digitalização e a introdução das novas tecnologias no campo os tem afetado, tentando entender em que estágio estamos e sabendo que o investimento em tecnologia é um fator que pode fazer a diferença no agronegócio brasileiro em 2018. E está claro que o protagonismo do campo só será alcançado, na sua plenitude, depois de minimizados os gargalos relacionados à infraestrutura básica, como a capilaridade da rede de internet de alta velocidade, além do fornecimento de energia elétrica de qualidade e melhoria das estradas. Até lá, os contrastes serão gritantes. Um dos dados mais importantes levantados na pesquisa Hábitos do Produtor Rural, feita pela Associação Brasileira de Marketing Rural – ABMR&A, foi que a internet chegou, definitivamente, ao campo, e isso não tem mais volta. O estudo mostrou os avanços e mudanças no perfil dos produtores rurais, a adoção de novas tecnologias e as relações e o envolvimento de quem comanda o campo com as novas formas de mídia e comunicação. E como isto se manifesta?

Por exemplo, conheci hoje, pessoalmente, um dos mais recentes fenômenos da “web gaudéria”, o produtor rural Giovane Weber, que tem mais de 100 mil seguidores no Facebook e que transmite, como ninguém, através de vídeos criativos na sua página, as dificuldades e o dia-dia do homem do campo. Giovane é um cara especial. Faz questão de falar como um colono de Santa Cruz do Sul, fala perfeitamente alemão e é um autodidata. Ele virou um influenciador digital por sua capacidade de falar a mesma linguagem de seus pares e, assim, transmitir credibilidade.

O artificialismo não tem lugar na comunicação do agro. O “novo” produtor rejeita propagandas com modelos e atores travestidos de agricultores e que miram seu bolso. Ele está se modernizando, incorporando novas tecnologias e mudando o modo de gerenciar os rumos do seu negócio. Nas minhas conversas, com pequenos, médios ou grandes produtores, comprovei que não existe mais espaço para uma vida sem internet, não importa o quão longe fica a sua propriedade rural. Netflix e leitura de jornais via assinatura digital são citados agora, da mesma forma que a TV aberta via parabólica e rádio era a única forma de consumir conteúdo, tempos atrás.

E, aproximadamente 3⁄4 dos produtores que tem acesso a internet costumam utilizar redes sociais. E para a troca de mensagens e comunicação, o WhatsApp tem a preferência de 96% dos produtores.

Outra pesquisa recente, a “Tecnologia da Informação no Agronegócio”, feita pelo Sebrae, identificou que 71% dos donos de microempresas rurais e 85% dos proprietários de empresas de pequeno porte no campo, usam smartphones para acessar a web. Esse resultado é expressivo se for considerado que o acesso médio da população brasileira à Internet por meio de aparelhos celulares é de 62% (segundo o Google Consumer Barometer). Para o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, a pesquisa confirma a necessidade de investimentos no meio rural, de modo a aumentar o acesso dos produtores às Tecnologias da Informação. “No mundo atual, onde o pequeno produtor precisa agregar valor ao seu trabalho e se diferenciar do restante do mercado, o acesso aos instrumentos digitais é algo fundamental para a conquista de novos públicos consumidores e para elevar o nível de competitividade do negócio”, comenta Afif.
Falou e disse.

Dica de série na Netflix:
The Ranch: Já que o tema aqui da coluna é agro, a dica de série do Netflix é “The Ranch” (titulado no Brasil “O Rancho”). A série se passa numa fazenda no Colorado, detalhando a vida de dois irmãos tentando ajudar seu pai no rancho e é estrelada pelo Ashton Kutcher, Debra Winger, Sam Elliot e pelo Danny Masterson, melhor conhecido como o Steven Hyde do seriado That ’70s Show. Foi criada por Don Reo e Jim Patterson, que foram produtores executivos de inesquecível seriado “Two and a Half Men” – daí a presença do Ashton Kutcher, também presente na última temporada desta.

“The Ranch” se encontra em um cenário nas Montanhas Rochosas, onde Colt Bennett (Ashton Kutcher), retorna à sua cidade natal depois de uma breve carreira de jogo semi-profissional no futebol americano. Ele segue o negócio da família com seu irmão Jameson “Galo” (Danny Masterson). É uma ótima comédia dramática e leva um jeitão de sitcom, com suas câmeras múltiplas e público no estúdio, mas é muito mais que isto. Confiram. #ficaadica

“O modo como você reúne, administra e usa a informação determina se vencerá ou perderá.”
Bill Gates